O plano de carreira de Tory Burch inclui uma lição de vocabulário muito valiosa

Craig Barritt / Getty Images Entertainment / Getty Images

Quando ela lançou sua gravadora de mesmo nome em 2004, havia um certo palavra focada na carreira Tory Burch evitado: ambição. 'Eu havia feito uma das minhas primeiras entrevistas e o repórter me perguntou se eu era ambicioso - achei a pergunta tão rude', lembra o designer em uma entrevista por e-mail para o The Zoe Report. 'Depois que a história foi publicada, eu estava falando com uma mulher que realmente admiro e ela disse:' Foi um ótimo artigo, mas você não deveria ter se esquivado da palavra ‘ambição’. Ela estava absolutamente certa. Se quisermos realmente alcançar a paridade, temos que assumir nossas idéias ousadas, celebrar nossos sucessos e abraçar a ambição. ' De acordo com Forbes, a partir de 2019, o rótulo Tory Burch traz cerca de US $ 1,5 bilhão em vendas de roupas, calçados, relógios, acessórios e fragrâncias. Ambicioso, de fato.

Talvez a compreensão inicial de Burch do termo pudesse ser atribuída à falta de exemplos femininos em sua vida. De acordo com Burch, as mentoras eram poucas quando ela lançou a marca (originalmente chamada de TRB por Tory Burch). 'Dito isso, minha mãe é minha modelo de papel nos negócios e na vida ', diz ela. 'Comecei a pensar de forma empreendedora ao observá-la. Ela transformou sua paixão por jardinagem em um negócio de flores quando eu era jovem, quando as empresárias eram ainda mais raras. (O icônico apartamento Reva de Burch leva o nome de sua mãe.)

Assim como sua mãe, Burch também transformou sua paixão em carreira, apesar de não ter nenhuma experiência em design ou treinamento formal. Em um Entrevista de 2007 com Vanity Fair, Burch explica que, como formada em história da arte na Universidade da Pensilvânia, sua experiência na indústria da moda não bateu até depois da faculdade, quando ela conseguiu passagens com Zoran, um designer iugoslavo, Harper's Bizaar (como assistente de sessão), e depois, fazendo relações públicas e marketing para Ralph Lauren, Vera Wang e Loewe (durante o mandato de Narciso Rodriguez). Simultaneamente, Burch estava silenciosamente projetando sua própria linha de roupas na cozinha de sua casa.



De acordo com um 2013 Business Insider artigo sobre sua jornada para o sucesso, com a ajuda do ex-marido Christopher Burch, a jovem estreante finalmente deu o salto para abrir sua própria marca de moda no início dos anos 2000 - e foi definitivamente um processo de aprendizado na medida em que você avança. 'Tive de aprender a ser designer e CEO no trabalho', explica Burch. 'Na verdade, acabou sendo um trunfo porque eu não estava preso a ideias antigas de como as coisas eram feitas. Eu não tinha um manual, então tive que escrever o meu próprio. Eu descobri que me sinto confortável fora da minha zona de conforto. '

Acontece que o manual de novato de Burch inclui alguns movimentos bem-sucedidos. Aperfeiçoamento o visual boêmio-preppy, a marca rapidamente se tornou conhecida por suas túnicas arejadas, uso estratégico de tons de alta octanagem como tangerina, amarelo-limão e fúcsia, bolsas de couro funcionais e - é claro - o sapatilhas de balé agora cultas. 'Comecei nossa empresa com um conceito muito simples: roupas bonitas que não custavam uma fortuna', diz Burch. 'Na época, o mercado estava dividido. Havia designer de luxo e mercado de massa sem nada no meio. Eu sabia o que estava faltando em meu próprio armário e pensei que outras mulheres poderiam estar perdendo as mesmas coisas. '

Victor VIRGILE / Gamma-Rapho / Getty Images

Aparentemente, seu palpite estava correto, já que a marca Tory Burch rapidamente subiu na classificação como um elemento fixo na indústria e nas prateleiras de grandes varejistas como Nordstrom e Bloomingdales. '[The Tory Burch] estética [é] refinada, mas acessível, infundida com cores ousadas e influências globais que resultam em designs que parecem clássicos e modernos ', diz Erica Russo, vice-presidente e diretora de moda de acessórios e beleza da Bloomingdale's em um entrevista por e-mail com The Zoe Report. 'Tory sempre foi influenciada por sua mãe deslumbrante que viajou o mundo e tinha um gosto fantástico, e essa personalidade e cuidado transparecem em seus designs. Seu principal cliente abrange idades e continentes, é multifacetado, está em constante evolução e segue a moda e o design. '

Em 2008, Burch recebeu o Conselho de Designers de Moda da América prêmio de Designer de Acessórios do Ano. E menos de 10 anos após seu lançamento inicial, a empresa foi avaliada em pouco menos de US $ 3,5 bilhões, adicionando Burch à lista de bilionários do mundo da Forbes em março de 2013. 'Tory começou seu negócio com alguns estilos indispensáveis ​​(a túnica, a sapatilha de balé) e ao longo dos anos, ela evoluiu para uma verdadeira marca de estilo de vida global,' diz Russo. 'Eu também vi Tory crescer com sua marca, e seu exemplo como uma empresária foi inspirador, especialmente vendo ela passar isso adiante e fazer a diferença na vida de outras mulheres com Fundação Tory Burch. '

Burch desenvolveu sua organização homônima em 2009 como um meio de dar às empresárias uma vantagem no desenvolvimento de suas próprias empresas por meio de programas e iniciativas que incluem, mas não se limitam a, acesso a capital, oportunidades de educação e orientação e educação empreendedora. 'Estou mais interessado em desafiar o duplo padrão que existe em torno da ambição e as conotações negativas associadas às mulheres ambiciosas', diz Burch. “As mulheres que desejam conquistar, que são duras na mesa de negociações e comunicadoras diretas são punidas pelas mesmas qualidades pelas quais seus colegas homens são elogiados. Isso é simplesmente inaceitável. ' Até o momento, a fundação distribuiu mais de US $ 57 milhões em empréstimos acessíveis para 3.500 mulheres empresárias por meio de seu Programa de Capital com o Bank of America.

Em um esforço para promover mais conversas em torno das conotações negativas existentes sobre mulheres de negócios com visão de futuro, Burch lançou seu Embrace Ambition Summit, que apresenta convidados de alto nível e palestrantes para inspirar - e, esperançosamente, um novo regime de empresárias. 'Tivemos alguns palestrantes incríveis este ano, de pioneiros como Gloria Steinhem à próxima geração de líderes, como Tiera Fletcher de 24 anos', disse Burch sobre a cúpula de 2020, que ocorreu em 5 de março. 'Ela é uma engenheira aeroespacial e co-fundador da Rocket With The Fletchers, uma organização sem fins lucrativos que promove programas STEM em comunidades sub-representadas. Estamos interessados ​​em pessoas que vão contra a corrente e desafiam o preconceito inconsciente em suas vidas diárias. '

Ela também está interessada em silenciar os pessimistas e céticos que muitas mulheres jovens empresárias costumam enfrentar, o que Burch experimentou em primeira mão quando lançou a marca Tory Burch. “Um dos melhores conselhos que já recebi é daquela época - meus pais me disseram para pensar na negatividade como ruído e desligá-lo”, diz ela.

E é exatamente isso que ela está fazendo enquanto continua a enfrentar cada nova temporada com o mesmo foco da primeira. 'Sempre fui obcecada pelo conceito de reinvenção', diz ela. 'A cada temporada, estamos nos esforçando para sermos fiéis a quem somos. Acho que se trata de explorar diferentes facetas da identidade da sua marca com autenticidade, integridade criativa e curiosidade intelectual. '